As coisas que você so vê quando desacelera - Como manter a calma em um mundo frenético

Precisamos fazer uma revolução interior. Precisamos mudar. Não podemos mais permitir que a mídia, as redes sociais e a indústria da moda destruam nossa autoestima ditando um padrão de beleza impossível de ser alcançado pela maioria das pessoas. Somos mais de 7 bilhões no planeta e ninguém é igual a ninguém. Como pode haver um “padrão de beleza”? Ser bonito é ser feliz do jeito que você é. É viver em paz com o seu corpo do jeito que ele está. É respeitar-se independentemente do número que aparece na balança.

Escrevi este livro para dividir com você como os acontecimentos que deram origem aos meus problemas foram se sobrepondo até culminarem em uma situação insustentável, e como, a partir daí, comecei a aprender a respeitar o meu corpo e a fazer as pazes com a comida e com a saúde. Vou mostrar tudo o que fiz para conseguir gostar do que eu enxergo no espelho, para desenvolver meu amor-próprio, para ter prazer de comer sem culpa, sem excessos e sem restrições, e para, sobretudo, me aceitar como eu sou, com todos os meus defeitos e qualidades.

Descobri que é possível, sim, ser feliz exatamente como se é. Não vou dizer que é fácil, não vou prometer nada. Não existe receita nem fórmula mágica. É um caminho difícil, mas que vale a pena ser trilhado.

Como fiquei perdida muito tempo nesse labirinto, espero que minha experiência ajude a iluminar seu trajeto e auxilie você a encontrar a saída. Porque tem saída, acredite.

DAIANA GARBIN